Home / Raças / Westie Terrier / Sobre a Raça
A+ R A-

West Highland White Terrier

Histórico:
Conhecidos carinhosamente por Westies.
Os Westies descendem do Cairn Terrier, do Bedlington Terrier, do Terrier Escocês, do Dandie Terrier, entre outros terriers. Pois, eram separados de suas ninhadas, quando surgiam a variedade branca. De início, retiravam e davam fim, acreditando serem mais fracos, e menos aptos . Porém, sendo mais fáceis de serem identificados no meio da mata, em meio às caçadas, e do fato de não serem confundidos com as raposas, começaram a selecionar as variedades que nasciam brancas. Esses filhotes brancos selecionados de vários terriers, eram introduzidos nos cruzamentos a fim de agregarem qualidades e características desejadas a função de caça, habilidade, etc, mas isso encerrou-se apartir de 1850. Sua origem ainda nao foi totalmente desvendada. Acredita-se que sejam variações em branco dos terriers acima, ou que estejam ligados aos terriers brancos espanhóis. Há muita controvérsia, e um campo em branco na história da real origem da raça.
Para compreender uma raça, é necessário esclarecer sua origem, sua história, sua relação com outras raças. As transformações e dificuldades que levaram a raça a ser o que ela é hoje.
Alguns indicam o Coronel Edward Donald Malcom de Poltaloch, nascido em 1837, na região de Argyll ao oeste da Escócia, como o primeiro criador da raça no seculo XIX. Acredita-se que o Coronel Edward, enquanto caçava rapozas, atirou em seu cão preferido, um Terrier marrom, confundindo-o com a pelagem da presa. Após essa tragédia, decidiu criar apenas Terriers de cor branca. Outra possibilidade; diz que em 1906, o English Westie Club adotou o padrão que exigia pelagem branca. Sendo assim, o Coronel Edward passou a criar apenas terriers de pelagem branca.
Outros indicam George Douglas Campbell, oitavo Duque de Argyll e chefe do Clã Campbell. Tanto um quanto outro, contribuiram para aperfeiçoar a raça. A pelagem branca faz com que fiquem mais visíveis durante as caçadas pelos campos ecoceses, facilitando diferenciá-los de suas presas. Havia risco de abate-los durante a caçada.
Os shows de cães começaram na Inglaterra em 1859, e naquela época, todos os terriers que vinham da Escócia eram apresentados como Scottish Terrier. Entre os anos de 1899 e 1900, foi criado o Clube do Scottish Terrier Branco, mas nem todos os criadores receberam de bom grado. Finalmente, após muitas discussões, em 1904, finalmente, se unem conseguem o reconhecimento da raça. No mesmo ano, o Westie participa pela primeira vez de um show do Scottish Kennel Club.
No entanto, foi o Coronel Edward D. Malcolm, o primeiro a introduzir um Westie em uma exposição, no ano de 1907. No ano seguinte, a raça foi reconhecida pelo AKC como Roseneath Terrier, no ano seguinte, mudado para West Highand White Terrier. No entanto até o ano de 1925, filhotes brancos do Cairn Terrier eram registrados como Westies.
Durante a I Grande Guerra Mundial (1914-1918), a criação de cães em geral foi muito prejudicada. Exposições e shows foram suspensos, e as criações de cães proibidas. Em 1917, a raça foi oficialmente reconhecida, em meio à Guerra. Em 1900, já se falava na raça West. Sra. May Pacey, escritora, dedica-se muito à criação e aperfeiçoamento da raça. No entanto, sofre os golpes duros das 2 Grandes Guerras Mundiais. Na primeira, para não ver todos os seus cães morrerem lentamente de fome, sacrificou 15 de seus Westies. Pois a comida era escassa, e os criadores rigidamente policiados. Embora, na II G. G.M, os Shows tivessem sido suspensos, a criação, não foi proibida. No entanto, eram rigidamente policiados.Com a II G. G. M.(1939-1945), dividiu sua porção de carne com um de seus filhotes, que se destacava na ninhada, pois teria este, um futuro promissor. Enviou vários de cães, para lugares distantes da Guerra, para residências seguras, onde estariam a salvo. Em 1942, vence o Best in Show no Westminster Kennel, um dos cães que a Sra. Pacey havia enviado a uma das residências seguras durante a 2 G.G.M.. Uma cadelinha, de nome Ch Wolvey Pattern of Edgerstoune, ocupa o tão almejado título, sendo o primeiro cão da raça Westie, a alcançar o prêmio.
Da História, sabemos que terriers eram conhecidos cães da Escócia, por volta dos anos de 1600, da Rainha Elizabeth I e do Rei James. O médico da corte da Rainha Elizabeth, Johannes Cauius(John Keyes) escreveu o primeiro livro sobre cães. Já conhecido e traduzido para o inglês Of English Dogs, que falava dos Terriers das terras circundantes dos Bárbaros e Terriers da Escócia. O Rei James deu de presente brancos Terriers das terras de Argyllshire, ao Rei da França.
Curiosidades:
A raça tornou-se mais conhecida no Brasil após propaganda publicitária do provedor IG, onde um cãozinho da raça, foi o mascote da campanha. Na verdade era uma fêmea da raça de nome Micki, dos Estados Unidos.
A palavra Terrier vem do latim e significa terra. Os Terriers são exímios caçadores de presas, que entocam-se. Hábeis em cavar buracos para pegar suas presas dentro das tocas.
West Highland: terras altas (montanhas) da costa oeste da Escócia. As terras do oeste da Escócia, eram acidentadas, ricas em rochedos. As intempéries como ondas, ventos, gelo necessitavam de cães que se adaptassem bem às dificuldades impostas pela natureza.
White: cor aceita da raça.
Terrier: proveniente do Latim (terra), e do Francês Médio (Terre) de sua aptidão em caçar animais dentro de tocas. Cães aptos a escavar a terra para caçar animais como os mustelídeos(o texugo, a lontra, e as daninhas), fuinhas, ratos e rapozas que se escondiam dentro de tocas, sob a terra.
Temperamento:
Alegre, cheio de vida, brincalhão, amigável, corajoso. Bons cães de alarme ladrando a estranhos. Independentes, mas afetuosos. Personalidade forte, sendo um pouco teimoso, devendo persistir no adestramento. Estimula-se à socializacão com outros animais desde pequenos. Muito apegado à familia, gostam de estar por perto, participar de tudo que acontece com seus donos. Possuem traços de independência, sabendo o momento de parar, tendo seu momento a sós. São afetuosos, sem serem pegajosos. Aptos a permanecerem por muitas horas distantes de seus donos, sem entrarem em abatimento ou sem destruirem objetos pela casa.
Apesar de muitos livros tarzerem a informação de que os Westies são cães agressivos e altamente reativos, sabe-se que atualmente, essa característica está muito distante de seu temperamento. Devido ao fato de muitos criadores sérios, comprometidos com o aperfeiçoamento da raça, escolherem padreadores e matrizes com temperament bem estruturado e equilibrado. A maioria dos Westies, são cães, tolerantes com estranhos e com outros animais.
São um pouco teimosos, mas trabalhando seu temperamento associando tarefas com recompensas, consegue-se um bom resultado.Especialmente, se a recompense for do interesse do bichano. Um brinquedo especial, um biscoito para cães, um palitinho ou um pedacinho de bifinho para cães.
Uma raça que se adapta facilmente com o ritmo da casa, com as atividades da família. Acostumam-se facilmente com outros integrantes caninos na família.
Aceitam as brincadeiras das crinças, desde que tenham sido apresentados a elas, desde pequenos. E também, desde que as crinças saibam brincar com eles, não sendo esticados, apertados, cutucados, nem esmagados. Nessas situações, procuram fugir, ou até mesmo reagir mordendo, para se ver livre das crianças.
Em compensação, apresentam um alto senso de humor e não tendem a permanecrem magoados por muito tempo.
Não são muito cães para colo, apesar de não ser regra geral. Não respondem bem a gritos. Para treiná-los, basta chamar a atenção, sem levanter o tom de voz. Com muito barulho, tendem a sair do local e se refugir embaixo de algum móvel ou algo que lhe dê segurança no momento.
Seu passatempo predileto é cavoucar, vasos de plantas, jardim, em busca de bichinhos em baixo da terra. Já que possue instinto de caçar presas em tocas. Levá-lo para passear for a da guia, não é uma boa idéia, uma vez que gostam de perseguir outros animais. E estando soltos na rua, irão ter olhos e ouvidos apenas para suas "presas", ficando muito vulneráveis aos carros .
Apesar de pequeno, necessita de exercícios diários, para gastar a energia acumulada.

Histórico:

Conhecidos carinhosamente por Westies.

Os Westies descendem do Cairn Terrier, do Bedlington Terrier, do Terrier Escocês, do Dandie Terrier, entre outros terriers. Pois, eram separados de suas ninhadas, quando surgiam a variedade branca. De início, retiravam e davam fim, acreditando serem mais fracos, e menos aptos . Porém, sendo mais fáceis de serem identificados no meio da mata, em meio às caçadas, e do fato de não serem confundidos com as raposas, começaram a selecionar as variedades que nasciam brancas. Esses filhotes brancos selecionados de vários terriers, eram introduzidos nos cruzamentos a fim de agregarem qualidades e características desejadas a função de caça, habilidade, etc, mas isso encerrou-se apartir de 1850. Sua origem ainda nao foi totalmente desvendada. Acredita-se que sejam variações em branco dos terriers acima, ou que estejam ligados aos terriers brancos espanhóis. Há muita controvérsia, e um campo em branco na história da real origem da raça.

Para compreender uma raça, é necessário esclarecer sua origem, sua história, sua relação com outras raças. As transformações e dificuldades que levaram a raça a ser o que ela é hoje.

Coronel Edward Donald Malcom Poltalloch    Coronel Edward Donald Malcom Poltalloch    Eleven Poltalloch

Alguns indicam o Coronel Edward Donald Malcom de Poltaloch, nascido em 1837, na região de Argyll ao oeste da Escócia, como o primeiro criador da raça no seculo XIX. Acredita-se que o Coronel Edward, enquanto caçava rapozas, atirou em seu cão preferido, um Terrier marrom, confundindo-o com a pelagem da presa. Após essa tragédia, decidiu criar apenas Terriers de cor branca. Outra possibilidade; diz que em 1906, o English Westie Club adotou o padrão que exigia pelagem branca. Sendo assim, o Coronel Edward passou a criar apenas terriers de pelagem branca.

Outros indicam George Douglas Campbell, oitavo Duque de Argyll e chefe do Clã Campbell. Tanto um quanto outro, contribuiram para aperfeiçoar a raça. A pelagem branca faz com que fiquem mais visíveis durante as caçadas pelos campos ecoceses, facilitando diferenciá-los de suas presas. Havia risco de abate-los durante a caçada.

Os shows de cães começaram na Inglaterra em 1859, e naquela época, todos os terriers que vinham da Escócia eram apresentados como Scottish Terrier. Entre os anos de 1899 e 1900, foi criado o Clube do Scottish Terrier Branco, mas nem todos os criadores receberam de bom grado. Finalmente, após muitas discussões, em 1904, finalmente, se unem conseguem o reconhecimento da raça. No mesmo ano, o Westie participa pela primeira vez de um show do Scottish Kennel Club.

No entanto, foi o Coronel Edward D. Malcolm, o primeiro a introduzir um Westie em uma exposição, no ano de 1907. No ano seguinte, a raça foi reconhecida pelo AKC como Roseneath Terrier, no ano seguinte, mudado para West Highand White Terrier. No entanto até o ano de 1925, filhotes brancos do Cairn Terrier eram registrados como Westies.

May Pacey West TerrierDurante a I Grande Guerra Mundial (1914-1918), a criação de cães em geral foi muito prejudicada. Exposições e shows foram suspensos, e as criações de cães proibidas. Em 1917, a raça foi oficialmente reconhecida, em meio à Guerra. Em 1900, já se falava na raça West. Sra. May Pacey, escritora, dedica-se muito à criação e aperfeiçoamento da raça. No entanto, sofre os golpes duros das 2 Grandes Guerras Mundiais. Na primeira, para não ver todos os seus cães morrerem lentamente de fome, sacrificou 15 de seus Westies. Pois a comida era escassa, e os criadores rigidamente policiados. Embora, na II G. G.M, os Shows tivessem sido suspensos, a criação, não foi proibida. No entanto, eram rigidamente policiados.Com a II G. G. M.(1939-1945), dividiu sua porção de carne com um de seus filhotes, que se destacava na ninhada, pois teria este, um futuro promissor. Enviou vários de cães, para lugares distantes da Guerra, para residências seguras, onde estariam a salvo. Em 1942, vence o Best in Show no Westminster Kennel, um dos cães que a Sra. Pacey havia enviado a uma das residências seguras durante a 2 G.G.M.. Uma cadelinha, de nome Ch Wolvey Pattern of Edgerstoune, ocupa o tão almejado título, sendo o primeiro cão da raça Westie, a alcançar o prêmio.

Da História, sabemos que terriers eram conhecidos cães da Escócia, por volta dos anos de 1600, da Rainha Elizabeth I e do Rei James. O médico da corte da Rainha Elizabeth, Johannes Cauius(John Keyes) escreveu o primeiro livro sobre cães. Já conhecido e traduzido para o inglês Of English Dogs, que falava dos Terriers das terras circundantes dos Bárbaros e Terriers da Escócia. O Rei James deu de presente brancos Terriers das terras de Argyllshire, ao Rei da França.

Curiosidades:

A raça tornou-se mais conhecida no Brasil após propaganda publicitária do provedor IG, onde um cãozinho da raça, foi o mascote da campanha. Na verdade era uma fêmea da raça de nome Micki, dos Estados Unidos.

Westie Terrier IG MickiA palavra Terrier vem do latim e significa terra. Os Terriers são exímios caçadores de presas, que entocam-se. Hábeis em cavar buracos para pegar suas presas dentro das tocas.

West Highland: terras altas (montanhas) da costa oeste da Escócia. As terras do oeste da Escócia, eram acidentadas, ricas em rochedos. As intempéries como ondas, ventos, gelo necessitavam de cães que se adaptassem bem às dificuldades impostas pela natureza.

White: cor aceita da raça.

Terrier: proveniente do Latim (terra), e do Francês Médio (Terre) de sua aptidão em caçar animais dentro de tocas. Cães aptos a escavar a terra para caçar animais como os mustelídeos(o texugo, a lontra, e as daninhas), fuinhas, ratos e rapozas que se escondiam dentro de tocas, sob a terra.

Temperamento:

Alegre, cheio de vida, brincalhão, amigável, corajoso. Bons cães de alarme ladrando a estranhos. Independentes, mas afetuosos. Personalidade forte, sendo um pouco teimoso, devendo persistir no adestramento. Estimula-se à socializacão com outros animais desde pequenos. Muito apegado à familia, gostam de estar por perto, participar de tudo que acontece com seus donos. Possuem traços de independência, sabendo o momento de parar, tendo seu momento a sós. São afetuosos, sem serem pegajosos. Aptos a permanecerem por muitas horas distantes de seus donos, sem entrarem em abatimento ou sem destruirem objetos pela casa.

Apesar de muitos livros tarzerem a informação de que os Westies são cães agressivos e altamente reativos, sabe-se que atualmente, essa característica está muito distante de seu temperamento. Devido ao fato de muitos criadores sérios, comprometidos com o aperfeiçoamento da raça, escolherem padreadores e matrizes com temperament bem estruturado e equilibrado. A maioria dos Westies, são cães, tolerantes com estranhos e com outros animais.

São um pouco teimosos, mas trabalhando seu temperamento associando tarefas com recompensas, consegue-se um bom resultado.Especialmente, se a recompense for do interesse do bichano. Um brinquedo especial, um biscoito para cães, um palitinho ou um pedacinho de bifinho para cães.

Uma raça que se adapta facilmente com o ritmo da casa, com as atividades da família. Acostumam-se facilmente com outros integrantes caninos na família.

Aceitam as brincadeiras das crinças, desde que tenham sido apresentados a elas, desde pequenos. E também, desde que as crinças saibam brincar com eles, não sendo esticados, apertados, cutucados, nem esmagados. Nessas situações, procuram fugir, ou até mesmo reagir mordendo, para se ver livre das crianças.

Em compensação, apresentam um alto senso de humor e não tendem a permanecrem magoados por muito tempo.

Não são muito cães para colo, apesar de não ser regra geral. Não respondem bem a gritos. Para treiná-los, basta chamar a atenção, sem levanter o tom de voz. Com muito barulho, tendem a sair do local e se refugir embaixo de algum móvel ou algo que lhe dê segurança no momento.

Seu passatempo predileto é cavoucar, vasos de plantas, jardim, em busca de bichinhos em baixo da terra. Já que possue instinto de caçar presas em tocas. Levá-lo para passear for a da guia, não é uma boa idéia, uma vez que gostam de perseguir outros animais. E estando soltos na rua, irão ter olhos e ouvidos apenas para suas "presas", ficando muito vulneráveis aos carros.

Apesar de pequeno, necessita de exercícios diários, para gastar a energia acumulada.

Galeria de Imagens: