Home / Artigos / Artigos / Cuidados com a Pelagem dos Westies e Scotties Terriers
A+ R A-

Cuidados com a Pelagem dos Westies e Scotties Terriers

E-mail PDF
Devem se evitar banhos em demasia para não ressecar a pele, pois removem a camada protetora da mesma, constituída basicamente de óleo. Este filme protetor mantém a pele hidradata.
Ambas as raças, tanto os Westies quanto os Scotties, possuem dupla camada de pêlos, composta por uma camada interna e outra externa. A primeira é macia (a lã), chamado de subpêlo ou pêlo secundário. E a externa por pêlo duro (aramado), chamado de pêlo primário. O pêlo primário ou duro, não possui muita afinidade à sujeira. Para cada pêlo principal há no mesmo folículo vários pêlos secundários finos.
O pêlo do cão é valorizado de acordo com a quantidade de pêlos aramados: quanto mais pêlo principal houver, mais vistosa a pelagem do mesmo.
Para isso estimula-se a vinda dos pêlos aramados, removendo-se os macios.
Várias são as técnicas para se remover o pêlo macio. Normalmente são removidos por rasqueadoras, faquinhas de stripping, onde pessoas com mais experiência, profissionais da área, realizam a tosa manualmente.
A utilização do uso de máquina não é indicada, caso você queira que seu cão fique com uma tosa profissional. Uma tosa profissional, é a tosa em que seu cão não apresentará em sua pelagem um traço definido, ou seja, uma linha demarcando o início e o término da tosa. Caso você faça a tosa de seu pet com máquina, oriente o tosador para que no limite da tosa não seja utilizada a menor lâmina, e sim uma lâmina não tão baixa, com pente número 03. E que o sentido da tosa seja do dorso para o saiote, obedecendo ao sentido de crescimento dos pelos.
A tosa manual ou tosa oficial da raça, o pelo é trabalhado a fim de que seja disposto em camadas, uma sobre a outra, obtendo-se um resultado harmônico, sem linhas abruptas de tosa. O que faz da tosa manual uma arte, é o domínio de como trabalhar o pêlo do cão. Podendo-se levar dias; ou até meses, dependendo do comprimento em que o pelo se encontra para se obter o resultado desejado. É claro que o uso da máquina de tosa é muito mais rápido, o mais utilizado e disponível nos pet shops. Deve-se ter atenção para que a máquina não esteja muito quente, a fim de não queimar a pele do seu pet (normalmente muito comum em pet shops, onde a máquina não tem descanso). Procure verificar se a lâmina é esterilizada e se é realizada a troca a cada tosa, pois como toda lâmina, há risco de contaminação.
Dizer que a tosa realizada à máquina tende a deixar o pêlo mais macio não é correto. O que realmente acontece, é que com o uso apenas de máquina, os pêlos secundários não serão removidos, e por consequência, não haverá estímulo para que venham pelos primários (aramados) no lugar do mesmo. A vinda do pêlo duro é resultado da remoção dos pêlos secundários, macios. Estes a partir de determinado comprimento são facilmente removidos, sem dor uma vez que estão pouco presos. Com o uso da máquina, os pêlos macios serão apenas aparados e não removidos.
Devem se evitar banhos em demasia para não ressecar a pele, pois removem a camada protetora da mesma, constituída basicamente de óleo. Este filme protetor mantém a pele hidradata.

Ambas as raças, tanto os Westies quanto os Scotties, possuem dupla camada de pêlos, composta por uma camada interna e outra externa. A primeira é macia (a lã), chamado de subpêlo ou pêlo secundário. E a externa por pêlo duro (aramado), chamado de pêlo primário. O pêlo primário ou duro, não possui muita afinidade à sujeira. Para cada pêlo principal há no mesmo folículo vários pêlos secundários finos.
O pêlo do cão é valorizado de acordo com a quantidade de pêlos aramados: quanto mais pêlo principal houver, mais vistosa a pelagem do mesmo. 

Para isso estimula-se a vinda dos pêlos aramados, removendo-se os macios.

Várias são as técnicas para se remover o pêlo macio. Normalmente são removidos por rasqueadoras, faquinhas de stripping, onde pessoas com mais experiência, profissionais da área, realizam a tosa manualmente.

Tosa Máquina    Tosa Máquina
A utilização do uso de máquina não é indicada, caso você queira que seu cão fique com uma tosa profissional. Uma tosa profissional, é a tosa em que seu cão não apresentará em sua pelagem um traço definido, ou seja, uma linha demarcando o início e o término da tosa. Caso você faça a tosa de seu pet com máquina, oriente o tosador para que no limite da tosa não seja utilizada a menor lâmina, e sim uma lâmina não tão baixa, com pente número 03. E que o sentido da tosa seja do dorso para o saiote, obedecendo ao sentido de crescimento dos pelos.

A tosa manual ou tosa oficial da raça, o pelo é trabalhado a fim de que seja disposto em camadas, uma sobre a outra, obtendo-se um resultado harmônico, sem linhas abruptas de tosa. O que faz da tosa manual uma arte, é o domínio de como trabalhar o pêlo do cão. Podendo-se levar dias; ou até meses, dependendo do comprimento em que o pelo se encontra para se obter o resultado desejado. É claro que o uso da máquina de tosa é muito mais rápido, o mais utilizado e disponível nos pet shops. Deve-se ter atenção para que a máquina não esteja muito quente, a fim de não queimar a pele do seu pet (normalmente muito comum em pet shops, onde a máquina não tem descanso). Procure verificar se a lâmina é esterilizada e se é realizada a troca a cada tosa, pois como toda lâmina, há risco de contaminação. 

Dizer que a tosa realizada à máquina tende a deixar o pêlo mais macio não é correto. O que realmente acontece, é que com o uso apenas de máquina, os pêlos secundários não serão removidos, e por consequência, não haverá estímulo para que venham pelos primários (aramados) no lugar do mesmo. A vinda do pêlo duro é resultado da remoção dos pêlos secundários, macios. Estes a partir de determinado comprimento são facilmente removidos, sem dor uma vez que estão pouco presos. Com o uso da máquina, os pêlos macios serão apenas aparados e não removidos.